Inspiração

Criar raízes ou asas?

Então. Eis-me aqui, do alto dos meus trinta e poucos anos. O que propus pra minha vida até agora alcancei (exceto achar um amor pra vida inteira, mas isso não é meta que se estabeleça). Formei, estou terminando a pós, consegui trabalhar em lugares legais (outros nem tanto, mas faz parte), fiz grandes amigos pelos caminhos, namorei aqui e acolá, saí da casa dos pais e consegui fazer sozinha uma declaração do imposto de renda. Tudo com esforço, nada de mão beijada, mas ainda assim, grandes coisa (como diria uma boa mineira, trocando o plural das palavras de lugar). Mas lá, bem lá, um incômodo que não cessa, o que fica sempre dizendo: então tá, qual o próximo passo? A próxima coisa que você quer? Resolvi voltar atrás e perguntar pra menina sonhadora o que ela queria da vida. E ela respondeu que era viajar pra Nova Zelândia e ser professora. E que não ia se casar (pelo menos é o que conta minha mãe e uma prima muito querida, eu ainda tenho lá minhas dúvidas, mas vai saber). Resolvi perguntar também pra velha (e talvez nem tanto) respeitável senhora que um dia com sorte serei, e ela respondeu que quer ter uma casa na beira da praia e viver feliz ao lado de um labrador, nadando todos os dias no mar com ele e comendo camarão. As duas me dizem que viver fincada aqui no minério de BH não é resposta.   [caption id="attachment_8" align="aligncenter" width="634"]Casa Aberta linda imaginada pela Fabi Soares e desenhada pelo Santiago Regis, que traduz bem meu desejo de casa quando velha. Casa Aberta linda imaginada pela Fabi Soares e desenhada pelo Santiago Regis, que traduz bem meu desejo de casa quando velha.[/caption] (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás