Month

janeiro 2016

Por que repetimos padrões

Dez horas da manhã de uma quarta-feira cinzenta em Ko Phangan, golfo da Tailândia. Me chamo Ana Paulla, sou brasileira, 32 anos, e mesmo aqui nesse paraíso consegui a façanha de me estressar. Atualmente tenho cinco (isso mesmo, 5) empregos… Continue Reading →

Como aprender a se amar em 5 passos

Como aprender a se amar? Às vezes parece algo óbvio demais para ser dito, mas é imperativo: precisamos aprender a nos amar. Hoje, agora, nesse exato minuto. Talvez você nunca tenha parado pra pensar nisso, talvez você seja melhor nisso… Continue Reading →

Uma carta do passado

Sabe aquela lista de resoluções de ano novo? Eu parei de fazer há algum tempo. Em vez disso, há anos faço uma carta de agradecimento pelo ano que passou (mas antes que ele aconteça). “Caramba, Ana, que bagunça! Você tem… Continue Reading →

Abraçar o lado negro da força

Há duas semanas participei de um workshop chamado Black Butterfly, por sugestão da minha amiga e praticamente mentora aqui na Tailândia, Yogita. Quem facilitou o workshop foi um israelense amigo dela, chamado Ohad: profundo conhecedor de Kabalah, Tantra e Xamanismo…. Continue Reading →

Como você vai ao encontro do outro?

Me peguei pensando sobre as expectativas que temos em relação às outras pessoas. Como quando encontramos o outro, temos imaginada uma história de como esse encontro vai ser. Seja um breve encontro com um estranho, um reencontro com um amigo, um… Continue Reading →

© 2017 Ainda Que Tardia — Powered by WordPress

Theme by Anders NorenUp ↑