Jornada

A message to guys who travel

I'm right now looking into a clear transparent sea in Thailand Gulf, living the dream for what matters. It's my first time abroad, and I've decided to go literally to the other side of the world, to find out other culture, language, cuisine, and some other things. The one thing that I kind of expected but I hoped that wasn't entirely truth, it's how guys treat Brazilian women. Yep, I'm a Brazilian girl travelling solo. And if you're a guy, I have a message for you: stereotype sucks. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

A morte é condição necessária para a vida

Gosto de perceber quando se fecham e se iniciam novos ciclos na vida. E gosto principalmente quando estou em paz com o fim de algum ciclo. Hoje, 12 de setembro, faz exatamente 5 meses que pisei em Ilhabela para começar um ano de aprendizado sobre mim. Um ano de autoconhecimento, reflexão, enfrentamento de medos e traumas, descoberta de novos mundos, dentro e fora de mim. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

“Sobre” do AQT de agosto de 2014

Quando a Fabi Soares entrou no projeto comigo e fez várias mudanças (pra melhor) no blog, ela escreveu um texto pra explicar o que enfim era o projeto. E como ela mesma previu, ele poderia mudar. Então hoje, um ano depois de vários aprendizados e descobertas, percebo que é hora de escrever um novo "sobre". Mas não queria perder o lindo texto da Fabi, que foi tão importante em me ajudar a descobrir os rumos do projeto. Então resolvi documentá-lo em um post. :) (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

Trabalho e utilidade

Esses dias precisava escrever um post de blog para o trabalho que ajudasse pessoas que são muito focadas em carreira a enxergar que existe mais da vida do que o trabalho de 9 às 7 (e das coisas que você faz pra esquecer que tem um trabalho de 9 às 7, tipo ir em festas e beber). Mas claro que se eu escrevesse um lindo post sobre como não nascemos pra cumprir funções como máquinas, elas provavelmente ignorariam. Então resolvi pensar em como mostrar a eles que todas as atividades que você pode desenvolver fora do seu horário de trabalho, aquelas coisas que você faz por prazer, podem fazer diferença "para você conseguir um emprego melhor", o tal do "se diferenciar no mercado de trabalho". Porque é isso que quem tem um foco grande carreira está interessado: como não parecer alguém inútil para o trabalho. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

O que o imprevisível me ensinou

Quando eu tinha cerca de cinco anos de idade, meus pais me deixaram sozinha em uma viagem, sem eles, pela primeira vez que eu me lembro. Eu me recordo exatamente da estrada de terra, cheia de cascalhos, na porta do sítio do meu tio. E dos meus sentimentos misturados de explorar uma aventura sozinha, sem meu pai e sem minha mãe, pela primeira vez. Era um misto de entusiasmo com medo, algo que é impossível descrever em palavras. Quase pedi para ir embora com eles (e provavelmente eu devo ter pedido), mas por algum motivo eles acharam que ia ser importante pra mim aquele tempo longe deles. Na minha memória esse tempo durou uma semana e foi doloroso, mas ao mesmo tempo me lembro de ter aprendido muito nesse tempo. Aprendi o quanto a solidão ensina. O quanto podemos descobrir e aprender por nós mesmos. O quanto as pessoas à sua volta não estão unicamente preocupadas com o que você quer ou sente. Que você precisa aprender a se virar sozinho. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

O caminho entre a razão e a emoção

Ouvi de alguém que amo que a mente nos prega truques e que ela não deve ser levada em conta. Tenho várias ressalvas a essa forma de pensar, que por si só é uma "forma de pensar", daí, pode ser ela mesma um truque da mente. Entendo diversas filosofias que pregam tentar dessas armadilhas mentais e tentar encontrar o que verdadeiramente você quer, precisa ou mesmo deve fazer. Mas nem todas as vezes você está conectado verdadeiramente com seu eu para tomar decisões em sua vida. E todos os dias diversas decisões nos são apresentadas, das mais simples às mais complexas, das que podem mudar o curso da sua vida e outras banais. E não podemos cair na situação do Jumento de Buridan. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Jornada

Um desafio não deixa de surgir até que você aprenda com ele

O principal desafio da minha vida é aprender a ter paciência. Tenho imensa dificuldade de ser paciente comigo, com os outros, com o mundo. Tenho uma grande urgência em viver e me irrito muito facilmente com quem não tem um ritmo parecido com o meu. Eu sei, é feio. E não gosto de admitir isso. E me causa muito sofrimento perceber que deixo de ficar em paz, que perco momentos de felicidade pelo simples fato de não conseguir esperar. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás