Seja Livre

Empreender nas horas vagas: um jeito de ser livre

Há três anos, em 2011, me começou uma inquietude: preciso ganhar dinheiro com o que sei. Pra além do que faço no meu trabalho formal, eu percebia que existiam conhecimentos que eu tinha que eram caros, procurados pelo mercado. E eu sempre quis ser professora, mas também sempre soube que essa seria uma segunda atividade, além do "9 to 5", como dizem por aí. O problema era: como, trabalhando de 9 às 19 (às vezes mais, porque agência de publicidade e tal), morando a 20km do trabalho, pegando trânsito... como iria empreender? Enfim, todo mundo sabe que existem dificuldades mil nas nossas ditas "horas vagas", que de vagas pouca coisa têm.

[caption id="attachment_293" align="aligncenter" width="300"]Caro no sentido de querido, viu gente, não de tubos de dinheiro. :) Caro no sentido de querido, viu gente, não de tubos de dinheiro. :)[/caption]

Como eu fiz: contei pras pessoas que me cercavam (usei meu networking), apareceram palestras, das palestras apareceram aulas, as aulas me levaram a trabalhos formais que tinham a ver com coisas que eu gostava mais de fazer e hoje levou até a um curso próprio que acabei de lançar: o curso de marketing digital para atendimentos publicitários (só pra quem tá em BH, por enquanto).

(mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
O Projeto

Abrace o erro

A hora de começar a correr atrás da liberdade chegou. Embarco dia primeiro, já com o Ainda Que Tardia na mala, para a América do Sul. Não sei como vai ser, nem sei nem como construir direito este projeto aqui de investigar a liberdade, mas vou com a cara, a coragem e com os princípios da Lean Startup estampadas no peito: pare de planejar e comece a fazer. Uma filosofia que pode ajudar você a conquistar sua própria liberdade. A Lean Startup é uma metodologia muito usada por startups que valoriza a experimentação, a prototipação e a realização de projetos, ao invés do planejamento minucioso antes de começar de colocar em prática um modelo de negócio. A proposta é começar a empresa ou projeto, com o mínimo de recursos possível (financeiro, intelectual e até de experiência), ao invés de estar com um produto pronto e finalizado para entrar no mercado. E dentro deste pensamento, ter medo de errar é kriptonita.

ter medo de errar é kriptonita.
(mais…)

Por Fabi Soares, atrás
Seja Livre

Cuidado com o balde

A Fabi postou este texto originalmente no blog dela, mas como chutar o balde tem muito a ver com liberdade, o post veio parar aqui também.  Há baldes por todos os lados. Baldes sendo chutados, baldes pacientes esperando para serem chutados e até baldes cheios de água e gelo caindo sobre milhões de cabeças. Por todos os lados que eu olho tem gente largando Bh para estudar na Alemanha, pedindo demissão para viver na Austrália, largando carreira para fazer o que ama. Essa história de chutar o balde parece que é coisa dessa nova geração que, cercada pela internet e mergulhada em crises, acabou de descobrir novos modelos de vida em estoque no fundo da loja. Vem comigo que vou te explicar essa metáfora. (mais…)

Por Fabi Soares, atrás
Seja Livre

Quando a realidade bate à porta

A copa acabou e parece que com ela foi-se a minha disciplina em manter posts semanais aqui no blog. Mas fazendo jus ao nome do próprio, cá estou eu de volta, Ainda que Tardia, depois de um dia merda um pouco difícil, de uma semana merda um pouco difícil, mas assim é a vida.  

"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem"

João Guimarães Rosa

(mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
O Projeto

Roda Viva

Mais eis que chega a roda viva e carrega o destino pra lá. Hoje me peguei pensando como o fluxo da vida leva a gente pra lugares, passamos por ciclos, mudamos de emprego, conhecemos gente nova, temos novas ideias, misturamos com mais alguma coisa, e de repente vemos que o caminho ficou bem diferente do que pensávamos a início. como_voce_imagina_a_vida (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Seja Livre

Coisas para se fazer “antes de”

o_que_fazer_com_sua_vida   A Laís Menini, essa roomie linda que eu tenho, me desafiou a ver com ela um filme de um livro que ela tinha lido que havia gostado muito. E a citação final do livro é essa aí da imagem, que fiz questão de postar como nota no Facebook. Fiz isso logo antes de viajar com a Fabi Soares, dona do texto sobre ter 27 anos publicado semana passada, e que me chamou pra viajar com ela no feriado. Passei quatro dias ótimos, descansando e fazendo coisas novas, como andar de Jet Ski. O que me lembrou de ressuscitar outra nota antiga, de uma lista que fiz: a Bucket List, ou, lista do que fazer antes de bater as botas. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Seja Livre

Você pensa seu negócio para você ou para os outros?

Pode parecer contraditório o título, dado que já falei duas vezes sobre encontrar seu propósito (ou seja, olhar pro seu próprio umbigo) que agora eu esteja dizendo pra você olhar pra fora. Sim, caro amigo-leitor-irmão-de-fé-camarada: é super importante olhar pra dentro da gente e descobrir o verdadeiro propósito nos nossos projetos e negócios, mas igualmente importante é olhar pra fora e se perguntar: quem se importa? [caption id="attachment_103" align="aligncenter" width="500"]Quem se importa com o que você pensa? Quem se importa com o que você pensa?[/caption]   Se seu objetivo for apenasmente satisfação pessoal, se seu projeto não precisa de público nem conexão nenhuma, já te conto que esse post não é pra você. Mas se o que você pretende for um negócio ou qualquer projeto que dependa de participação de outras pessoas, é bom depois de olhar pra si mesmo que você olhe em torno do seu lindo umbigo com piercing e veja quem mais pode se interessar pelo que você está fazendo. (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Seja Livre

BMC e Golden Circle – Colocando ideias em vários papéis

Um belo dia resolvi mudar e fazer tudo que eu queria fazer. Assim começou a esperta ideia de jogar fora boa parte do TCC que eu, Isabella e Laís já tínhamos feito, de uma ideia que era bem legal, inclusive. Havia sido aprovada com louvor na primeira banca e já tinha inclusive recebido a segunda orientação. Aí, loucas do c* (como diz a Laís) que somos, resolvemos jogar tudo no lixo e recomeçar, cada uma em um projeto diferente. Mas por quê? Pergunta você, caro leitor. Eu respondo: propósito. Como disse, a ideia era bacana, já estava bastante desenvolvida e para nós, enquanto estudantes entregadeiras de trabalho, seria fácil terminá-lo. Mas acontece que as pessoas envolvidas (membros da banca, professor orientador e tal) começaram a perguntar pra gente se iríamos transformar mesmo aquela ideia em negócio, que ela merecia que estava muito legal e tudo mais. Mas nenhuma de nós sentia que aquela ideia se ligava verdadeiramente ao nosso propósito. Ela resolvia um problema que existe, que tem possibilidade de ser transformada em um negócio viável e interessante: poderia possivelmente passar num processo de aceleração para uma startup. Mas nem eu nem nenhuma das minhas caríssimas colegas sentia que queria colocar essa ideia em prática.   [caption id="attachment_93" align="aligncenter" width="634"]Começando o trabalho de novo. Começando o trabalho de novo.[/caption] (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Seja Livre

O que fazer quando não se tem tempo para fazer nada

Confesso que já imaginava que fazer posts frequentes seria uma das minhas maiores dificuldades, desde que imaginei esse projeto. Disciplina nunca fui meu forte, sou sempre a mais animada para iniciar qualquer coisa mas a que tem a grande tendência de abandonar qualquer grande paixão anterior depois de três meses de rotina. Fico espantada com a capacidade que tenho de acordar e ir trabalhar todos os dias (mais ou menos, bem pra mais do que pra menos) no mesmo horário. Outra coisa que consigo ter disciplina é pra frequentar aulas, só falto em casos extremos, mesmo que chegue atrasadíssima na aula às 3 da tarde (sendo que a aula começou às 9 da manhã) com o côco nas mãos. calvin_escravo_rotina Mas enfim, disciplina é mais difícil ainda de manter quando se tem diversas coisas pra fazer, o que eu tenho a manha de conseguir: sempre ter muita coisa pra fazer. Inicio coisas com a maior facilidade, e sempre me parece desperdício passar uma boa oportunidade. A primeira coisa que entendi é que tenho que aprender a dizer "não" pra uma oportunidade, por melhor que ela pareça. Tive que fazer isso com um projeto foda que eu e minhas colegas de pós começamos: montamos um projeto de um e-commerce inovador e que acredito ter muito potencial. Mas pra me manter no meu objetivo de viajar o mundo, tive que, dolorosamente, dizer "não" ao projeto. Ainda ajudo aqui e ali, mas tive que abrir mão de participar ativamente nele, simplesmente pra não correr o risco de me apaixonar pela ideia e mandiocar. E eu não quero mandiocar, lembram? A outra coisa que aprendi foi a fazer listas. No meio da bagunça de um monte de coisa pra fazer, eu paro tudo antes de começar qualquer coisa e faço uma lista de tudo, tudo mesmo, que tenho que fazer. Assim, de colocar no papel, já me ajuda a não esquecer nada (um grande defeito meu, ser super esquecida, memória seletiva e tal) e também a mensurar mais fácil o quanto mesmo estou cheia de tarefas. Aí é colocar em ordem de prioridade (com 1, 2, 3, 4) na frente da tarefa. Mas enfim, como priorizar? (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás
Seja Livre

Como transformar uma ideia em um projeto

De boas intenções o inferno está cheio. De boas ideias também. Ter uma ideia legal não é das coisas mais difíceis, o difícil é colocá-la em prática. Ué, mas existe diferença entre as duas coisas? Não basta ter uma ideia brilhante pra ficar rico? Não, caro amigo, não basta. O "como" fazer uma ideia se tornar realidade é na grande parte das vezes o que distingue homens de meninos, e é aí que essa história aqui entra. [caption id="attachment_24" align="aligncenter" width="300"]IMG_3933 O valor de uma ideia está em seu uso.[/caption] Falei dessa minha ideia de viajar o mundo investigando a liberdade pra um bocado de gente, e 100% das vezes a reação foi super positiva. Mas essa ~puta ideia genial~ só vale se sair do papel, porque convenhamos, né, quem nunca quis viajar o mundo? Mas ter grana, ou pior, no meu caso que não a possuo, inventar os meios de realizar essa ideia é que é o difícil. Parte 1 - Mindset A parte número 1 desse trabalho foi reorganizar a forma que penso. Me libertar, euzinha mesma, de várias ideias preconcebidas: (mais…)

Por Ana Paula Coelho, atrás