Quando eu já tinha decidido vir para o Gap Year, ainda em BH recebi um convide muito feliz do Antônio Terra  (meu ex-professor, ex-chefe, grande amigo) para dar uma palestra no Uni-BH, faculdade em que me formei. Só tinha um pequeno problema de datas: o evento do Uni aconteceu entre 13 e 15 de abril e minha viagem de mudança pra Ilhabela já estava programada para dia 12, já que dia 13 começava aqui a Launch Phase.

Eu não via a gente que estava na sala, ao contrário aí desse painel no Festival Path.

Eu não via a gente que estava na sala, ao contrário aí desse painel no Festival Path.

O tema da palestra que ele havia sugerido era nomadismo digital: ele sabe do meu interesse no tema e que conheço vários nômades: Niall Doherty, Turner Barr, alguns dos gringos que conheci durante a Copa em BH, além da Fabi Soares, minha parceira em várias empreitadas. Achei a ideia ótima, mas quase recusei o convite porque não estaria em BH. O que ao pensar duas vezes isso não fazia sentido: como não dar uma palestra sobre nomadismo digital só porque eu não estaria em BH? Decidi hackear o sistema e tentar fazer à distância, via Hangouts. Com muito apoio da galera de infraestrutura do Uni (valeu, galera!) conseguimos fazer funcionar, e foram dois horários de conversa, um às 9:00 e outro às 19:00.

Tinha decidido também ampliar o tema, já que enxergo que outros movimentos estão intimamente ligados com nomadismo: economia colaborativa, movimento maker e hackschooling (ou hacking de educação). Como eu sou maker, vim pra cá justamente hackear a minha educação, serei nômade digital durante pelo menos um ano, e dependerei bastante economia colaborativa para que isso tudo aconteça, zás.

Bom, aqui o resultado: uma hora de hangout (se quiserem pular para 4:00, é quando começa mesmo) e um deck (que tem todos os links de vídeos e textos que cito) que ia controlando à distância pelo Teamviewer. Foi ótimo fazer isso, aprendi na prática um monte de coisas, e exercitei o que prego: todo mundo pode fazer o que quiser, é só se dispor a aprender e contar com a ajuda das pessoas no processo. Isso basicamente resume o que é hackschooling. 🙂

Ah, as fotos que ilustram o post é do painel que participei no Festival Path, conto mais em outro post. 😉


O que Hackschooling, Economia Colaborativa e Movimento Maker tem em comum? - UnCollege Brasil · 13 de outubro de 2015 às 04:27

[…] que decidi fazer o Gap Year do UnCollege fui convidada por um querido ex-professor a dar uma palestra em BH, minha cidade natal. Acabei decidindo falar de vários temas atuais que vejo intimamente […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Cursos

Cursos do Ainda Que Tardia para Pequenos Empreendedores

O Ainda Que Tardia é uma escola de cursos para quem quer ser livre. Há mais de um ano criamos cursos focados em pequenos empreendedores, pessoas que possuem e/ou gerenciam micro, pequenas e médias empresas Leia mais…

Cursos

Lugares em BH que ajudam seu Negócio Local

Ser microempreendedor de um negócio local não é tarefa simples. Muitas vezes o microempresário é o único responsável pelo pequeno negócio acontecer: desde compras, produção, vendas, marketing a gerenciamento financeiro do negócio. Já pensou em Leia mais…

Jornada

A coragem de largar tudo

O Ainda Que Tardia completou três anos. Um sonho de liberdade que nasceu num rascunho de papel num carnaval em 2014, virou blog em abril do mesmo ano, virou projeto de viagem de volta ao Leia mais…