Sabe aquela lista de resoluções de ano novo? Eu parei de fazer há algum tempo. Em vez disso, há anos faço uma carta de agradecimento pelo ano que passou (mas antes que ele aconteça). “Caramba, Ana, que bagunça! Você tem umma máquina do tempo, é isso?” Sim, devo ter. Porque olha, eu acerto todo início de ano agradecendo por coisas que ainda não aconteceram, mas que são meus desejos de ano novo, por assim dizer. A ideia é exatamente abrir a carta um ano depois, e ver o que eu tinha pensado pra mim um ano atrás.

É quase como fazer metas, mas de um jeito bem mais poético: é agradecer ao universo tudo que eu gostaria que ele mandasse pra mim, antes mesmo que ele mande. Bom, tem funcionado incrivelmente, olha só a carta que escrevi há exato um ano atrás e que recebi hoje pelo Dear Future Me:

“Querida Futura Ana Paula,

Que bom que em 2015 você conseguiu colocar tantos projetos em prática! Esses aprendizados gostosos do aprender fazendo, essas pessoas novas e tudo que isso trouxe pra sua vida com certeza te fez sentir mais viva e feliz.

Aprender a se amar e ser feliz, se aceitar, se conhecer tem sido todos os dias um grande aprendizado. Nesse ano que passou foram sempre novos aprendizados nesse sentido. Aprender a equilibrar corpo, mente e espírito também foi fundamental nesse processo.

No trabalho aprender a ser mais assertiva sem ansiedade, a não desperdiçar tempo com coisas, pessoas e processos inúteis ajudou a atingir os objetivos que queria. E nos projetos pessoais, a viabilizar os sonhos para 2016.

Que esse ano que se inicia seja finalmente o ano de colocar o pé no mundo com coragem e consciência.”

Perdoa o tanto que repeti a palavra “aprender”, mas olha, foi tudo que eu fiz em 2015. E que delícia, porque é isso que eu mais amo fazer. 🙂

E você? Costuma fazer resoluções ou cartas de ano novo?

Categorias: Jornada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Jornada

A coragem de largar tudo

O Ainda Que Tardia completou três anos. Um sonho de liberdade que nasceu num rascunho de papel num carnaval em 2014, virou blog em abril do mesmo ano, virou projeto de viagem de volta ao Leia mais…

Jornada

Coisas que aprendi sobre o Brasil fora do Brasil

Passei 9 meses morando na Tailândia e foi um incrível período de aprendizados constantes em muitas áreas. Uma delas foi sobre aspectos que não dava atenção antes de sair do Brasil, e que fora dele, Leia mais…

Jornada

Não é com você, é comigo

Você já deve ter escutado essa frase, provavelmente em um término de relacionamento: “Não é você, sou eu…”. Eu achava que fosse uma mera desculpa (e para algumas pessoas talvez seja), mas hoje entendo a verdade que essa expressão Leia mais…