Meninas do Vento. Assim que as incríveis mulheres que idealizaram e estão realizando esse festival estão sendo chamadas. É gratificante estar ajudando um grupo tão grande de mulheres que estão produzindo o primeiro festival de música independente de Ilhabela: Vento Festival.

Me surpreendi positivamente ao descobrir que ele não foi apenas pensado por três lindas mulheres, Anna, Tatiana e Bianca, mas que também a quase totalidade da organização do festival é feminina. As fofas do Bar Tiquim que cuidam lindamente de todos do camarim e produção e que não podem ver a gente passar correndo que perguntam se a gente já comeu e oferecem um lanchinho. O pessoal de apoio da prefeitura que também é composto quase todo de mulheres. As eficientíssimas Shirlei e Cíntia, que comandam o backstage e todo o cronograma do festival. As compententíssimas meninas da comunicação, Marcela e Mariana. E até a equipe de segurança é chefiada por uma mulher.

meninas_vento_festival

E muito se engana quem tem aquela pecha machista de dizer que um monte de mulheres trabalhando juntas não dá certo: convido todas essas pessoas a virem ver o lindo, organizado, tranquilo e animado festival que elas estão fazendo. As Meninas do Vento estão aqui para provar que essa história de competitividade feminina é bullshit. O primeiro dia deu o tom dos demais que ainda estão rolando, com outra incrível mulher abrindo a noite: Tulipa Ruiz. Ela gostou tanto da vibe que resolveu passar todos os dias do evento por aqui.

Mas há homens: quase toda a imprensa e o pessoal de cobertura do evento são meninos e também há homens na produção. A grande beleza é ver que um trabalho bem feito acontece quando preconceitos de gênero caem e estão todos trabalhando felizes em prol do mesmo objetivo: fazer desse o primeiro de muitos maravilhosos festivais de música independente em Ilhabela.

Se estiver em São Paulo não perca tempo: pegue um ônibus ou peça uma carona e desça pra ilha pra curtir mais dois deliciosos dias. Hoje tem outra mulher incrível pra animar a noite: Céu. Confira também o que está rolando na página oficial do evento e  ouça a playlist do festival no Deezer.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Jornada

A coragem de largar tudo

O Ainda Que Tardia completou três anos. Um sonho de liberdade que nasceu num rascunho de papel num carnaval em 2014, virou blog em abril do mesmo ano, virou projeto de viagem de volta ao Leia mais…

Jornada

Coisas que aprendi sobre o Brasil fora do Brasil

Passei 9 meses morando na Tailândia e foi um incrível período de aprendizados constantes em muitas áreas. Uma delas foi sobre aspectos que não dava atenção antes de sair do Brasil, e que fora dele, Leia mais…

Jornada

Não é com você, é comigo

Você já deve ter escutado essa frase, provavelmente em um término de relacionamento: “Não é você, sou eu…”. Eu achava que fosse uma mera desculpa (e para algumas pessoas talvez seja), mas hoje entendo a verdade que essa expressão Leia mais…