A Fabi postou este texto originalmente no blog dela, mas como chutar o balde tem muito a ver com liberdade, o post veio parar aqui também. 

Há baldes por todos os lados. Baldes sendo chutados, baldes pacientes esperando para serem chutados e até baldes cheios de água e gelo caindo sobre milhões de cabeças. Por todos os lados que eu olho tem gente largando Bh para estudar na Alemanha, pedindo demissão para viver na Austrália, largando carreira para fazer o que ama. Essa história de chutar o balde parece que é coisa dessa nova geração que, cercada pela internet e mergulhada em crises, acabou de descobrir novos modelos de vida em estoque no fundo da loja. Vem comigo que vou te explicar essa metáfora.

Pensa que a vida é uma prateleira de supermercado. Seus amigos, pais, professores e quem mais você imaginar, são um vendedor. E na prateleira você vê disposto lado a lado, todos os estilos de vida disponíveis no mercado: carteira assinada, estudante, formado em publicidade, medicina, jornalismo, direito. Cada estilo de vida na prateleira tem seu rótulo e seus benefícios: casa, família, estabilidade financeira, salário alto no primeiro ano de formado, cargos altos e por aí vai. Quando você acaba de formar no colégio você está ali, em pé diante da prateleira ao lado do vendedor para te ajudar a escolher. Você olha, pergunta o vendedor qual é o melhor pra você e então escolhe um. Você pega seu modelo de vida na prateleira, passa no caixa e vai pra casa feliz, pronto pra trabalhar e alcançar todos os benefício do seu novo produto.

Isso funcionou até a década de 90, no máximo. Os modelos de vida das prateleiras eram ótimos para a maioria das pessoas e realmente cumpriam o que prometiam. Você estudava, conseguia um emprego, trabalhava 8h por dia, comprava um carro, uma casa, construía uma família e era feliz. Então veio a crise. Uma crise que não conseguiu mais entregar tudo que os modelos de vida prometiam. Na Europa, milhares de jovens estão formados e não conseguem um emprego, os que conseguiram foram demitidos. A casa própria nos EUA , um sonho de muitos, é a causa de uma das maiores crises da história do capitalismo. Nem vou comentar das decepções dos brasileiros porque você já conhece bem.

Com a crise mundial, veio a crise existencial. “Porque eu vou escolher ou continuar com um estilo de vida que, ao invés de me ajudar a conquistar meus grandes sonhos, apenas me consome?”, perguntamos para nós mesmos diante do espelho. Junto disso veio também a internet e as milhares de histórias de pessoas que chutaram o balde e deram certo. Tenho certeza que você já leu na sua timeline do Facebook, pelo menos uma vez na vida, uma chamada do tipo “advogado que largou tudo e foi montar uma vinícola na menor ilha do mundo”.

animation

Essas histórias são de pessoas que foram para os fundos da loja e descobriram no estoque outros modelos de vida: o nômade, o de empreendedorismo em startups, o da vida andarilha, com pouco no bolso e o suficiente no coração, ou qualquer outra que você imaginar. Estas pessoas sempre existiram e vão sempre existir, mas foi a internet que as apresentou para o mundo. E elas estão inspirando outras a fazerem o mesmo, inclusive eu. Estas pessoas são um recado para você chutar o seu balde.

Se você souber exatamente o que te motiva e onde você quer chegar, fica mais fácil tomar as decisões certas.

Só tome cuidado com o balde e a forma como você vai chutá-lo. De longe tudo é muito romântico, mas é preciso olhar de perto, escolher bem o balde que você vai chutar, fortalecer sua técnica de chute e só então ir em frente. E o segredo para chutar o balde com sucesso é ser fiel ao seu propósito. Se você souber exatamente o que te motiva e onde você quer chegar, fica mais fácil tomar as decisões certas. É só você se perguntar sempre “isso vai me levar aonde eu quero ir?”, se a resposta for não, chute o balde.

Como achar um propósito? Taí uma pergunta que muitos filósofos gastaram muitos anos para responder (se é que responderam) e não vai ser eu quem vai respondê-la. Mas eu tenho uma dica que pode te ajudar. Faça um Golden Circle de você mesmo. É um técnica de comunicação aplicada às marcas que também funciona para pessoa e ideias. Você precisa preencher o círculo com diversos post-its respondendo o quê você faz (what), como você faz (how) e o por quê (why) você faz. Fica mais ou menos como a imagem abaixo (é o meu Golden Circle ainda em busca de um propósito). Veja este vídeo aqui e você vai entender exatamente como funciona. Não é um exercício fácil e você pode levar muito tempo (muito mesmo) pra descobrir o seu Why ou propósito, mas quando você descobre você vai ver como tudo fica mais claro.

10569092_10204385706553956_6756477000025053222_n

Enquanto você não descobre seu propósito, CULTIVE CORAGEM. Você vai precisar de muita na hora de chutar o balde. Ah! Você também vai precisar de um balde, então vem comigo escolher:http://www.bondfaro.com.br/balde.html.

bucket-head-o

Bjo, balde.

fabisoares

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *